Blog, PET - Cães e Gatos, Saúde e Bem Estar

A vida de Bica, pinscher dublada que é o maior sucesso pet no TikTok Brasil – 18/01/2021 – [Blog GigaOutlet]


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

“Você vê que eu tenho uma cabeça perturbada, né!”, diz Leonardo Bagarolo, 32, numa pausa entre filmagem e dublagem simultânea de uma pequena criatura comendo ração num brinquedo patrocinado. Trata-se de uma pinscher de seis anos, parte da dupla Mada e Bica nas redes sociais, sendo a maior conta entre os pets do TikTok brasileiro. Elas acumulam mais de 4,5 milhões de seguidores. O segredo do sucesso é apenas um: a dublagem que dá personalidade à “cã”.

A modalidade ainda é um tanto nova no Brasil, mas dá bastante resultado. São poucas as contas de pet celebridades que vivem dessa maneira, misturando realidade e fantasia nas situações cotidianas. A típica frase do “só falta falar” virou passado no perfil de humor. Não há truques ou efeitos de câmera para capturar as falas da arisca Biquinha, como é chamada. Apenas uma filmagem simples com celular, sem edições muito elaboradas.

A simplicidade a torna uma musa acessível? Não tanto. Chegando ao apartamento no bairro Morumbi, em São Paulo, a reportagem de TAB foi recebida com latidos agudos e incansáveis de Bica. Ela não parecia muito feliz com a visita. Sua irmã, uma buldogue de dois anos, exibia o sinal oposto: pulava tanto com seu corpo de ‘ossos largos’ que até caía, tamanha a emoção ao receber uma completa estranha em casa.

Houve aviso prévio sobre o comportamento das caninas mais famosas da rede social que viraliza como nenhuma outra. “A Mada vai te amar para sempre. Mas a Bica vai querer te matar”, adverte o “pai” delas, com um sotaque levemente caipira, carregado da cidade natal de Artur Nogueira, no interior de São Paulo.

Apesar de tentar ser modelo, ser eleito Mister Artur Nogueira em 2010 — o que é lembrado com risos —, fazer aulas de teatro e se formar em cinema, Bagarolo nunca trabalhou na área. Atualmente, trabalha como gerente de Market Place na Leroy Merlin. Desde a mudança para a capital paulista, Bica foi sua companheira e cúmplice na nova fase da vida.

O gosto pelo entretenimento nunca saiu de cena e, de certa forma, está disponível para todos agora, visto que a dublagem acabou sendo, involuntariamente, uma maneira de expor e aflorar o lado mais “show man” de Bagarolo. Sempre aparecendo e interagindo com as pessoas nos perfis, ele próprio diz ser parte de um personagem, embora a versão real não pareça diferir muito das telas.

Leonardo Bagarolo cria conteúdo para as redes sob a supervisão de Bica

Imagem: Arquivo pessoal

Ócio criativo no home office

Apesar da pinscher invocadinha ser a razão do sucesso, foi Madalena quem começou no Instagram e no TikTok. “Ela abriu as portas pra gente. Acho que não teríamos chegado até aqui sem ela nas nossas vidas”. A cachorra, comprada em 2018, era um sonho de consumo de Evelin Camargo, noiva de Bagarolo, que se uniu ao clã acompanhada da gata Lola, de 5 anos, uma pet mais reclusa, mas que não deixa de aparecer nas redes sociais.

O perfil surgiu na metade de 2019, mas depois do home office instaurado para parte dos trabalhadores brasileiros, a rotina com as cadelas se intensificou, junto às ideias para conteúdo. “Agora eu estou o tempo todo observando o comportamento delas”, conta.
No início, a ideia era fazer algo mais conceitual, com fotos fofas e bem produzidas de uma cadela robusta pagando de gatinha nos feeds alheios, conquistando fãs, curtidas e o apoio de marcas. “Vamos ver se a gente consegue umas coleiras de graça”, alega. “Olhávamos fotos e conteúdo de bulldogues no Instagram e queríamos algo assim com a Madalena, que era mais ‘instagramável’. Mas não sabemos fazer isso e acabamos seguindo um caminho totalmente oposto”.

Sem o talento ?— ?ou paciência, no caso de Bica ?—? para serem cadelinhas de dondoca, a dupla desvirtuou o ‘conceito’ e, empreendedoras que são, criaram seu próprio império do jeito que lhes convêm, desafiando os pais a se adaptarem à natureza delas. “A Mada adora pessoas, passear no shopping. Mas a Bica?”. Subversiva, a pinscher não abre mão de ser quem é, mesmo sendo adestrada.

A dupla leva uma vida mais pé no chão do que aparenta. Não são tratadas como humanas e tampouco são arrastadas a compromissos mais excêntricos, como festas de aniversários para pets. “Mas não julgo quem faz!”, reforça o manager da carreira.
Com ajuda do senso de humor do dono, Bica se destacou na multidão de pets fofinhos que brotam diariamente na internet. E, convenhamos, a ideia é tão simples e atrativa que poderia ser uma live-action de qualquer animação da Disney.

‘Todo mundo dubla o próprio cachorro’

O tom de voz um tanto tosco que Bagarolo atribui à Bica está com ele desde garoto, quando o utilizava para imitar irritantemente alguém ou dar vida à “pequenas coisinhas”. “E aí veio a ideia de postar a dublagem que eu já fazia dela em casa, brincando. Todo mundo dubla o próprio cachorro, as pessoas só não postam”, alega.

Há algo, porém, que segue misterioso para todo o público dos canais: Madalena não tem voz e se comunica apenas por legenda. “Eu tenho uma voz pra ela também, mas prefiro que cada pessoa, quando lê o que a Mada estaria dizendo, crie sua própria voz”, argumenta. A imitação da cachorra é guardada tão a sete chaves que nem a reportagem teve acesso à dublagem.

Talvez por identificação do público, a vertente deu certo. Em quase um ano, o perfil cresceu de forma estrondosa. Além dos mais de 4,5 milhões de fãs no TikTok, Mada e Bica possuem 257 mil seguidores no Instagram; 265 mil no YouTube e 70 mil no Kwai, a rede mais recente da turma.

Querendo sentir o gostinho da fama e da relevância, Bagarolo não tem vergonha de admitir que buscou apoio em grupos de engajamento, no qual pessoas com um interesse em comum se unem para apoiar e engajar os perfis umas das outras. “Mas fui expulso porque eu não conseguia cumprir as metas. Era muita coisa, não dava conta”, argumenta. E deixa claro que “automatização nunca usei”, em relação à compra de curtidas e seguidores.

O perfil de comédia tem um pé no reality show, especialmente no canal do YouTube, atualizado todos os dias. Mas a vida dos quatro integrantes é acompanhada também pelos stories do Instagram, com fragmentos não editados da rotina. Nos passeios na rua, Mada e Bica são reconhecidas por fãs.

Atento aos assuntos do momento e aos gostos do público, o influencer criou o BBBica, um reality na qual o público escolhe quem vai para o paredão entre os integrantes da família. O sucesso já se expõe nos números: crescimento diário de visualizações nos stories e interações, além de mais de mil inscritos novos chegando no YouTube.

A família de Bica reunida - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

A família de Bica reunida

Imagem: Arquivo pessoal

Um humor saudável

Com público majoritariamente feminino, jovem e infantil, as piadas feitas no perfil foram ficando cada vez mais inocentes, embora ainda levando em conta o humor ácido de Bica. “No início tinha muito palavrão, xingamento. Eram só meus amigos pessoais que seguiam. Mas aí tive que adaptar a linguagem, especialmente no YouTube, que concentra muitas crianças”, avisa o criador de conteúdo.

Um dos vídeos mais vistos no perfil do TikTok é também um dos mais polêmicos. Com mais de 1 milhão de acessos, “Coach do Futuro” traz Bica dando conselhos às avessas para as perguntas do público. “O intuito era ser tipo como uma ‘coach de fracassos’, mas teve gente que se ofendeu, e isso gerou um debate no perfil. Eu precisei entender o que estava acontecendo e quais seriam as limitações desse tipo de humor”.

Chamado de apelidos diversos, que vão de pamonha à galã de quermesse, Bagarolo é sempre a vítima, o alvo da zoeira dos fãs. “Até o meu pé, que aparece em vários vídeos quando filmo as cachorras e eles dizem que é feio, vira protagonista em algum momento do Instagram”. Os fãs também tiram sarro dizendo que o marmanjo é bancado pela pinscher.

Quem comanda um dos modestos fã-clubes das cachorras, diretamente de Paulo Afonso, na Bahia, é Maria Vitória Braz dos Santos. A jovem de 15 anos também tem uma pinscher de seis anos e conheceu o perfil por meio de uma prima. “Com a covid-19, a gente só via notícia ruim o tempo todo. Mada e Bica foi uma distração, sabe. A minha cabeça melhorou muito! E minha família se uniu em torno desse assunto, porque todo mundo aqui em casa gosta delas”, disse.

Para Maria, que é de uma geração movida às redes sociais, Mada e Bica oferecem um humor diferente, que não se vê tanto na internet. “Imagina, um cachorro falante. O Léo associa uma personalidade conectada ao o que elas são. É um humor mais leve, mais saudável”.

A rotina das pets patrocinadas

O conteúdo é editado na hora do almoço e à noite, quando a rotina do trabalho convencional dá uma trégua. Em um arquivo do Word, Bagarolo anota desde pequenos roteiros e piadas para não esquecer, e os compromissos do dia da dupla. “Não menciono mais de uma marca no mesmo dia, por exemplo, para não atrapalhar o resultado”, comenta. “Mas é tudo muito espontâneo, atrelado ao nosso dia a dia. Não existe um planejamento semanal, geralmente penso cinco minutos antes de postar”.

Arte com Mada, Bica e a gata Lola - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

Arte com Mada, Bica e a gata Lola

Imagem: Arquivo pessoal

Os patrocínios garantem que as duas não coloquem a mão no bolso para irem ao veterinário, tomar banho, terem coleiras novas e um estoque de ração. Bagarolo afirma que teve que frear essa história de recebidinhos, mesmo mantendo um quartinho apenas para guardar as coisas enviadas por patrocinadores ou marcas, como se fosse uma despensa das pets. “Não trabalhamos mais dessa forma porque não é legal. Tudo depende do que elas realmente usam ou gostam. É raro abrir exceções. Hoje o que funciona pra gente são os contratos mais duradouros com as marcas mesmo”.

Além das propagandas e da venda de uma linha de produtos exclusivos na loja Carapet, a única forma de monetização direta das publicações é com o YouTube, que já garante no mínimo uma aposentadoria tranquila para Mada e Bica no futuro. Em dólar, é claro. A expectativa de Bagarolo é que o TikTok comece a aplicar logo no Brasil o Creator Fund, fundo milionário da empresa para remunerar os produtores de conteúdo.

Durante a entrevista, o temperamento forte de Bica não sossegava até que a bolinha amarela fosse arremessada novamente. “Ela é agitada”, justifica o pai, já quase vencido pelos latidos que davam uns 15 minutos de trégua. No colo da repórter, ao invés de latir, rosnava, encarando com seu olhar julgador, mesmo recebendo carinho.

Confesso que depois de assistir a uma temporada de vídeos da Bica foi praticamente inevitável ouvir sua voz na minha cabeça, me chamando de “otária” e pedindo que eu trabalhasse a favor de seu entretenimento com o arremesso de bolinha. Atendi prontamente a seus pedidos, afinal, é o que adultos com juízo fazem hoje em dia: obedecem aos cães.


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!


Fonte: tab.uol.com.br |

Related Posts