As dores de cabeça do trabalho de casa e como resolvê-las – [Blog GigaOutlet]


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

*Por Brian X. Chen

Trabalhar de casa por causa da pandemia de coronavírus pode soar como um luxo. Liberdade para cozinhar o almoço. Lavar roupa entre tarefas. Dar um tempo daquele colega de trabalho excessivamente loquaz.

Então a realidade se instala. Seu Wi-Fi fica superlento, as novas ferramentas de software com as quais você trabalha são confusas e seu mouse é uma porcaria. Sem o departamento de TI, você tem de se virar com seus problemas tecnológicos.

Os problemas tecnológicos mais comuns do trabalho de casa são os que desaceleram nossa produtividade: conexões de internet não confiáveis, chamadas de vídeo de baixa qualidade, programas de software mal adaptados e local de trabalho desconfortável.

Não se preocupem, novatos do trabalho a distância: trabalhei de casa por muitos anos e consegui minimizar meus problemas tecnológicos para conseguir uma espécie de nirvana da situação. E, ao consultar outros veteranos da modalidade, há lições e truques fáceis de aplicar que ajudarão durante todo o tempo em que você trabalhar desse modo.

O maior deles: menos é mais, especialmente menos gadgets e menos aplicativos de trabalho. Esse princípio pode nos guiar a uma configuração mais simples e menos frustrante que nos permita trabalhar bem com nossos colegas.

“Há uma superabundância de ferramentas. São desastres esperando para acontecer”, disse Jason Fried, um dos fundadores da Basecamp, empresa de software em Chicago que faz ferramentas de trabalho remoto e coautor do livro “Remote: Office Not Required”.

Aqui está o que você pode fazer para transformar o trabalho de casa em uma alegria.

Vamos falar sobre sua internet

Vamos primeiro abordar a questão tecnológica nº 1 em casa: conectividade com a internet. Em comparação com as rápidas conexões de banda larga do escritório, a velocidade da internet doméstica provavelmente é lenta, e a conexão Wi-Fi pode ser irregular.

Portanto, agora é um bom momento para avaliar sua infraestrutura.

– Se seu sinal Wi-Fi não é confiável, o que significa que é forte em um cômodo, mas fraco em outro, minha recomendação para a maioria das pessoas é investir no chamado sistema Wi-Fi em malha. Isso permite conectar vários pontos de acesso sem fio para cobrir sua casa com uma forte conexão à internet. Meus sistemas em malha favoritos são o Google Wifi e o Eero da Amazon, que começam em US$ 99 para um único roteador e podem vir com pontos de acesso adicionais.

– Se a velocidade da internet parecer lenta, um sistema Wi-Fi moderno com suporte para os mais recentes padrões sem fio, como os mencionados, ajudaria. Mas se a velocidade continuar parecendo lenta mesmo depois de atualizar seu equipamento de rede, você pode ter de entrar em contato com seu provedor de internet para perguntar sobre outras opções. Alguns provedores podem oferecer velocidades de banda larga mais rápidas a preços mais altos.

Em geral, muitos de nós (inclusive eu) estamos experimentando velocidades globais mais lentas após a pandemia. Isso porque muita gente fica on-line em casa ocupando a largura de banda do provedor de internet, o que pode fazer com que a velocidade média caia. Não há muito que fazer nesse caso além de chamar os prestadores de serviços para reclamar da lentidão.

É por isso que é aconselhável ter uma opção de backup. Quando surgem problemas de velocidade, você pode recorrer ao uso do recurso hot spot do seu smartphone, que transforma a conexão do celular em uma rede Wi-Fi em miniatura. As redes celulares são projetadas para lidar com grandes quantidades de usuários, por isso é possível que a conexão de dados do seu smartphone seja mais rápida quando sua banda larga estiver sobrecarregada. Apple e Google oferecem instruções em seus sites sobre como transformar iPhones e telefones Android em hot spots.

Mas use esse recurso com moderação para evitar ultrapassar o limite de dados de seu plano.

Aproveite ao máximo (e minimize) sua configuração tecnológica

Não há uma recomendação única para a melhor configuração de trabalho remoto, porque temos trabalhos diferentes. Mas uma regra geral é o mínimo possível de dispositivos. Quanto mais tecnologia possuímos, mais problemas temos de solucionar.

Com isso em mente, aqui está uma lista de dores de cabeça comuns no trabalho a distância e suas soluções tecnológicas:

– Telas pequenas. Muitos foram enviados para casa com laptops para o trabalho, e as telas menores podem parecer constrangedoras. Você poderia considerar adicionar um segundo monitor, como o Z27 de US$ 539 da HP, de alta resolução, com 69 centímetros.

– Telefonemas e chamadas de vídeo estranhos. Muitos estão familiarizados com chamadas de vídeo mal iluminadas e telefonemas de baixa qualidade. Se a qualidade do som é um problema, fones de ouvido sem fio como os Jabra Elite 75t de US$ 180 têm microfones redutores de ruído. Para uma melhor qualidade de vídeo, você pode considerar comprar uma webcam, como a C920S da Logitech por US$ 70. Para problemas de iluminação, uma luminária como a Classic Plus por US$ 150, da Carex, pode fornecer alguma iluminação natural para uma chamada de vídeo – e pode até animar seu humor.

– Barulho. Para quem tem filhos barulhentos ou vive em um ambiente urbano, fones de ouvido com cancelamento de ruído, como o Bose 700 por US$ 400 ou o DualDriver BT ANC de US$ 105, podem abafar muitos sons desagradáveis para ajudá-lo a se concentrar.

– Dores no corpo. Sem a ajuda de um especialista ergonômico, você pode ter problemas como dor no punho, tensão no pescoço e dor nas costas. Você pode remediar dores no punho com um teclado ergonômico, como o Kinesis Freestyle Edge de US$ 219, ou um mouse sem fio confortável, como o Mouse Sem Fio Logitech M720 Triathlon Multi-Device, por US$ 50.

Se suas costas estão doloridas, talvez seja hora de investir em uma cadeira de escritório bem construída, como a Steelcase Gesture de US$ 969, ou uma mesa em pé, como a V2 de US$ 539 da Uplift.

Fried mantém sua configuração técnica simples: um laptop, uma boa cadeira de escritório, uma lâmpada de terapia para as chamadas de vídeo e fones de ouvido com cancelamento de ruído para quando os filhos estão fazendo barulho. Quando ele sente vontade de ficar de pé, coloca o laptop em uma estante.

Distrações? Pense nelas como pausas

Muitos novatos do trabalho a distância citam a tecnologia como uma grande distração do trabalho: programas de TV, videogames e quadrinhos digitais estão apenas a um botão de distância. Aqui está um segredo para encontrar a felicidade nessas distrações: aceite-as.

Você tem o direito de fazer pausas. Em casa, você tem a liberdade de passar o intervalo do almoço assistindo a um programa da Netflix em vez de ir a um restaurante.

“Não precisa se sentir como se estivesse no escritório. Aproveite – não se acanhe”, aconselhou Fried.

Mesmo porque, como temos de minimizar o tempo que passamos ao ar livre no momento, ligar a TV pode ser a coisa mais responsável a fazer.

The New York Times Licensing Group – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

Fonte: www.nsctotal.com.br