Mais barato que AirPods: Galaxy Buds+ tem ótima bateria e bom isolamento – 11/03/2020 – [Blog GigaOutlet]


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

Todo mundo quer um fone de ouvido sem fio no momento, mas de preferência que não custe um absurdo de caro. Uma das alternativas mais interessantes é o Galaxy Buds+, que a Samsung anunciou nesta quarta (11) no Brasil por R$ 999. Tilt já está testando o aparelho há algumas semanas e traz para você o que esperar. Spoiler: o fone está ainda melhor e tem ótimo custo-benefício.

O Galaxy Buds+ é o sucessor do Galaxy Buds, lançado pela Samsung no ano passado. Não, ele não é barato, mas por R$ 999 ele é uma alternativa muito boa para o AirPods Pro, da Apple, que custa R$ 2.249 no Brasil. Ele é inferior à versão Pro dos fones da maçã, mas muito melhor do que os péssimo AirPods que custam a partir de R$ 1.349. Existem alguns rivais mais baratos do que o Galaxy Buds – entre eles, está o fone de ouvido bluetooth da Xiaomi.

A segunda versão do fone da Samsung chega com algumas melhorias, mas também mais caro que no ano passado – os Galaxy Buds originais foram lançados por R$ 849, mas meses depois já dava para achar o produto por cerca de R$ 650 em lojas online. Nos Estados Unidos, o aumento entre uma versão e outra foi de US$ 20.

Fone de respeito, mas microfone segue ruim

O Galaxy Buds+ é um ótimo fone a começar pelo design. Ele é extremamente leve, assim como no ano passado, e conta com uma construção que se encaixa bem no ouvido. A aparência dele mudou pouco entre o ano passado e este, mas o Galaxy Buds+ está mais confortável: sinto menos incômodos no ouvido como coceiras ou presença de ceras ao usar o Buds+ do que sentia com o Buds.

A principal diferença no design está em um tom mais brilhante do fone, na versão branca. Agora ele reflete mais a luz, criando um efeito mais liso tanto no case quanto na parte do fone que fica para fora da orelha. O fone da Samsung tem versões na cor branca, azul e preta. Não existem fios: ele só funciona via bluetooth.

O design da caixa dos Buds+ também é excelente. Ela é pequena e discreta o suficiente para você deixar no bolso ou em pequenas bolsas sem incomodar. Ela conta com uma luz de LED na frente que indica a capacidade de bateria (varia do verde para o vermelho). A caixa serve como carregadora dos Buds+ e segura uma carga além da própria dos fones.

Internamente, o fone ganhou melhorias. Segundo a Samsung, agora são dois alto-falantes. De fato, o som ficou melhor, mas ele já era ótimo no Galaxy Buds. Agora dá para distinguir melhor o som de diferentes instrumentos e a qualidade também está mais elevada, mas a melhoria é discreta no áudio. A potência da música é ótima, de qualquer forma – não é no nível de um headphone ou de fones concorrentes como a Sony, mas pelo preço achei excelente.

A Samsung também subiu o número de microfones no fone para três, sendo dois externos e um interno. Contudo, isso segue sendo um ponto fraco do fone de ouvido sem fio da empresa sul-coreana. Testei usar o microfone para mandar um áudio no WhatsApp em dois ambientes: um metrô barulhento e um shopping com barulho médio. Em ambos, a minha voz quase não foi captada. Já ao fazer uma ligação na rua (com poucos carros e menos barulho), a pessoa para quem eu liguei chegou a me entender, mas a voz soava distante e abafada.

Haja bateria

O grande destaque do fone de ouvido da Samsung está na sua bateria. Ela já era boa na versão do ano passado, mas agora está ainda melhor: de acordo com a marca, é possível chegar a 11 horas de música ininterrupta com a bateria dos fones ou até 22 horas somando com a recarga do case.

Galaxy Buds+, fone sem fio da Samsung - Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

Galaxy Buds+, fone sem fio da Samsung

Imagem: Gabriel Francisco Ribeiro/UOL

No uso diário, dá para sentir isso de fato. Já gostava da bateria da versão anterior, mas agora não tenho do que reclamar. Uso o fone praticamente diariamente, sendo por cerca de 50 minutos entre ida e volta do trabalho no transporte público de manhã e à noite, além de usar costumeiramente no horário de almoço por cerca de uma hora.

Com esse uso, cheguei a ficar mais de uma semana sem precisar recarregar o case com os fones. Para os padrões atuais de tecnologia, é um número que agrada bastante e faz o Galaxy Buds+ se diferenciar dos concorrentes.

Bom isolamento de ruído

Um aspecto negativo do Buds+ em relação a rivais mais caros como o AirPods Pro e o fone bluetooth da Sony é que não existe cancelamento de ruído ativo no modelo da Samsung. O fone de ouvido da empresa sul-coreana vem com o cancelamento de ruído mecânico – ou seja, por meio de borracha que impede a passagem de ar e som externo ao ouvido.

Mesmo assim, não tenho muito o que reclamar do cancelamento de ruído dos Buds+. Assim como o Buds, acho ótimo: se estou na rua, não ouço carros, buzinas e quase nenhum ruído externo – o que pode até ser um pouco perigoso, claro. Os barulhos do metrô e a conversa paralela no vagão são extremamente reduzidos, o que melhora demais a sensação de ouvir música e o bem-estar diário.

Quando estou na cozinha do UOL, preciso ser cutucado por alguém que queira falar comigo durante o horário de almoço por simplesmente não ouvir nenhuma pessoa me chamando em voz alta. Existem momentos que eu até deixo o fone da Samsung no ouvido sem ouvir música, simplesmente para isolar ruídos externos – já fiz isso em aviões, inclusive.

Para quem curte ter controle sobre o isolamento, existe uma opção no aplicativo (que ainda pode ser configurada como um comando ao clicar no fone) que libera a entrada de ruídos externos, chamado modo ambiente. Usei isso, por exemplo, quando estava na rua e entrei em um estabelecimento para falar com um vendedor, o que é ótimo já que não é necessário tirar o fone e guardá-lo novamente.

Um outro defeito do Buds+ é que ele não tem resistência a água como outros do mercado – se você pretende usá-lo para exercícios ao ar livre, pode dar ruim.

App até no iPhone

O Galaxy Buds+ ainda vem acompanhado de um aplicativo muito útil. Com uma novidade: agora existe um app até para o iPhone, o que não rolou na época do lançamento do Galaxy Buds. Isso faz o Buds+ ser uma alternativa ainda mais viável para usuários da Apple que não têm disposição de gastar mais de R$ 2 mil no AirPods Pro.

No aplicativo, o usuário pode conferir quanto de bateria resta e também atualizar o software do dispositivo. É possível até personalizar algumas funções do fone de ouvido, como configurar o que fazer ao dar um toque mais demorado nele – pode escolher entre aumentar/diminuir o volume ou ativar o modo ambiente/assistente de voz no celular.

O fone, por sinal, tem comandos simples que ajudam no uso rotineiro dele. Um toque nele quando está no ouvido pausa a música, dois toques pulam para a próxima e três toques rápidos voltam para a anterior. Existem ainda comandos para atender ou recusar ligações, mas não indico isso pela baixa qualidade do microfone.

Vale a pena?

No geral, o Galaxy Buds+ é uma boa alternativa a fones mais caros. O som é bom, o isolamento de ruído é bem bacana e ele é muito confortável. A bateria, então, é excepicional. Por outro lado, faltam algumas coisas que fones mais caros possuem, como o cancelamento de ruído ativo. O microfone também é tenebroso.

Ele não é tão barato, mas pelo preço proposto é um ótimo equipamento – vpcê ainda pode pesquisar outros fones ainda mais baratos que podem se encaixar no que você qiuer. Como a Samsung costuma derrubar preços de seus produtos depois de alguns meses, o Buds+ estará ainda mais atrativo em breve.

Galaxy Buds+:

O que é bom: som potente, bateria enorme, comandos personalizáveis, design, bom isolamento de ruído e confortável
O que é ruim: microfone é ruim, não tem resistência a água e falta um cancelamento de ruído ativo


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

Fonte: www.uol.com.br