O que é telemedicina? Entenda como funciona no Brasil e veja plataformas | Internet – [Blog GigaOutlet]


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

A telemedicina é uma modalidade de exercício de medicina à distância, por meios digitais de comunicação. Permitida de forma restrita desde 2002 por resolução do Conselho Federal de Medicina, a prática foi expandida a todo o país por uma portaria do Ministério da Saúde e, depois, ratificada pela Lei 13.989. A medida permite que profissionais da saúde ofereçam consultas online enquanto durar a pandemia do coronavírus. A expansão da telemedicina é vista como benéfica por permitir atendimentos à distância em um momento em que o isolamento social é decisivo na contenção do novo coronavírus. A seguir, confira detalhes sobre a telemedicina no Brasil.

LEIA: Windows muda e ganha funções inéditas em atualização

Entenda o que é e como funciona a telemedicina no Brasil — Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Quer comprar celular, TV e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

O que é telemedicina e como funciona no Brasil

O exercício da medicina à distância, ou telemedicina, no Brasil está regulado pela Resolução 1.643/2002 do Conselho Federal de Medicina (CFM), que define a telemedicina como o exercício da medicina por meio da utilização de metodologias interativas de comunicação audiovisual e de dados, com o objetivo de assistência, educação e pesquisa em saúde. No entanto, apenas em março de 2020, através da Portaria 467, o Ministério da Saúde reconheceu a possibilidade de serem adotadas no país, em caráter excepcional, algumas modalidades de atendimento médico à distância.

A portaria não restringe o uso da telemedicina a determinadas especialidades. Ao menos durante a pandemia, o documento deixa a prática em aberto para qualquer área da medicina no atendimento pré-clínico, assistencial, além de consultas, monitoramento e diagnósticos.

Quais são as vantagens e desvantagens?

Telemedicina permite consultas por videochamada — Foto: Foto: Anna Kellen Bull / TechTudo

A telemedicina oferece como principal benefício, a conexão entre pacientes e profissionais da saúde à distância. Em tempos de isolamento social, significa também a possibilidade de acessar atendimento médico sem precisar sair de casa e incorrer em risco desnecessário à saúde. Hipertensos e diabéticos, entre outros que precisam de acompanhamento regular, podem lançar mão de consultas online sem precisar ir hospitais lotados de pacientes de Covid-19.

Além disso, hospitais do interior ou em estados com falta de pessoal podem adotar sistemas informatizados para obter auxílio de profissionais de grandes centros. Há ainda um benefício para o barateamento de consultas. Algumas plataformas oferecem consultas online por taxas mais baratas do que clínicas tradicionais, o que pode facilitar o acesso de algumas especialidades por classes de mais baixa renda.

Diferença entre telemedicina e telessaúde

Embora a telessaúde e a telemedicina possam ser apresentadas como sinônimos, os termos não significam a mesma coisa. Telessaúde é o conceito mais abrangente que abriga todo tipo de serviços e informações de saúde realizados com o uso de tecnologias de informação e comunicação. A prática contempla, por exemplo, atividades como conferências, pesquisas e capacitação profissional. Já a telemedicina é um ramo da telessaúde que se distingue especificamente pela realização de atendimento médico diretamente prestado ao paciente.

Veja também: Como se preparar para uma conversa de vídeo sem se expor

Como se preparar para uma conversa de vídeo sem se expor

Como se preparar para uma conversa de vídeo sem se expor

Entre as desvantagens, destaca-se a impossibilidade de atendimentos mais complexos que requerem exames presenciais ou de aparatos médicos específicos. Além disso, pessoas idosas tendem a ter mais dificuldade no manejo de tecnologias exigidas. É preciso também ter cuidado com os sistemas utilizados para prevenir vazamento de informações sensíveis.

O SUS oferece telemedicina?

Plataforma Consultório Virtual é vinculada ao TeleSUS, do Ministério da Saúde — Foto: Divulgação/Ministério da Saúde

Segundo o Ministério da Saúde, 20 mil médicos e enfermeiros que atuam nas unidades de Saúde da Família de todo país receberam treinamento para a navegação no sistema. A iniciativa integra o programa TeleSUS, que já oferecia ferramentas para auxiliar em diagnósticos online.

Outra experiência é a criação da UTI Virtual no estado de Alagoas, que conecta profissionais de linha de frente de hospitais públicos a infectologistas, pneumologistas, cardiologistas, fisioterapeutas e outros especialistas para auxiliar no tratamento de pacientes. Algumas UTIs móveis também contarão com robôs para enviar sinais vitais dos pacientes e imagens dos atendimentos às equipes internas.

Plataformas para telemedicina

Plataforma Médico Solidário oferece atendimento online de graça — Foto: Reprodução/Paulo Alves

É o caso também de serviços de intermediação de consultas, como o gratuito Médico Solidário (medicosolidario.com/) e o Conexa Saúde (conexasaude.com.br/). Na área da saúde mental, há opções como bHave (bhave.life/), Cíngulo (cingulo.com/), Moodar (telavita.com.br/) e a Rede de Apoio Psicológico (rededeapoiopsicologico.org.br/).

Do lado do profissional de medicina, é preciso aderir a plataformas que oferecem a intermediação completa ou, pelo menos, adquirir um certificado digital para assinatura. A Certisign, por exemplo, já conta com plataforma para assinar receitas, laudos e outros documentos. Também é o caso da Memed, uma das líderes nesse segmento.

Ao mesmo tempo, surgem opções que usam tecnologia blockchain para garantir mais segurança e confiabilidade na assinatura. Essa é a proposta, por exemplo, da solução Open Prescription (https://registrar.prescricao.online/).


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!


Fonte: www.techtudo.com.br |