Blog, Techtudo

Os melhores jogos de todos os tempos feitos por apenas uma pessoa | Jogos – [Blog GigaOutlet]


Acesse agora GigaOutlet e compre com desconto e frete grátis!

Grandes estúdios de games, que contam com times de desenvolvedores, podem criar jogos e franquias de muito sucesso. No entanto, não é o tamanho da equipe que faz um bom jogo. Games indie (independentes) normalmente têm equipes bastante reduzidas, e alguns são até mesmo feitos por apenas uma pessoa, como é o caso do grande fenômeno Minecraft, do popular simulador de fazenda Stardew Valley, ou do divertido game de exploração e aventura Spelunky.

Apesar de muitos jogos indie serem mais curtos e casuais, como Mainichi, há também os desenvolvedores que se dedicam por meses ou até anos para alcançar um resultado de alta qualidade. Eles conseguem competir com grandes nomes do mercado ou causar um grande impacto cultural. Veja a seguir uma seleção com os melhores jogos de todos os tempos feitos por apenas uma pessoa para plataformas como PlayStation 4 (PS4), Xbox One, Nintendo Switch e várias outras.

Relembre os dez jogos que mais faziam sucesso há dez anos

Hoje um imenso sucesso com uma grande equipe por trás, o Minecraft original foi criado por apenas um desenvolvedor — Foto: Reprodução/Felipe Vinha

Quer comprar jogos, consoles e outros produtos com desconto? Conheça o Compare TechTudo

Iconoclasts (Joakim Sandberg)

Em Iconoclasts o jogador controla Robin, uma mecânica que sempre quer ajudar os seus amigos — Foto: Divulgação/Konjak

Lone Survivor (Jasper Byrne)

Lone Survivor traz uma narrativa cheia de segredos em um sinistro ambiente 2D — Foto: Divulgação/Steam

Mainichi é simples no seu gameplay, mas tem uma história altamente emocional — Foto: Divulgação/Mattie Brice

Lançado para PC em 2012, Mainichi é um jogo curto mas com uma história muito emocionante. Nele, o jogador assume o papel de Brice, uma mulher transgênero que está passando pelas dificuldades de se identificar em um mundo cheio de preconceitos. Criado por Mattie Brice, o jogo foi pensado a partir de experiências pessoais da desenvolvedora. Depois da revelação final da história, os jogadores podem iniciar outra jornada para encontrar os seus segredos em uma versão levemente diferente do dia jogado anteriormente. Mas, no fim, o jogador percebe que a repetição é apenas uma alegoria sobre a vida da protagonista e as constantes ameaças que ela sofre dia após dia.

Minecraft (Markus Persson)

Minecraft é um jogo para toda a família onde você pode explorar o mundo com amigos — Foto: Divulgação/Mojang

O desenvolvedor Markus “Notch” Persson estava trabalhando em RubyDung, um jogo de construção nos moldes de Dwarf Fortress, quando conheceu Infiniminer e se encantou com o seu conceito. Então, Notch decidiu criar um jogo nos mesmos moldes, mas em primeira pessoa, ambientado em um mundo de fantasia e aproveitando alguns recursos de RubyDung. Esse novo jogo se tornou Minecraft. Nele, os jogadores devem sobreviver criando abrigos, cultivando fazendas e até mesmo explorando cavernas em um mundo todo composto por blocos. Um dos seus maiores atrativos são as infinitas possibilidades de exploração. O jogo saiu para PC em 2009 e hoje já está disponível para inúmeras plataformas de mesa e mobile.

Papers, Please (Lucas Pope)

Papers, Please se passa em um país fictício em guerra com Republia, país que apareceu no game The Republia Times criado por Pope — Foto: Divulgação/Steam

Clássico do Atari, River Raid ainda hoje é lembrado com carinho pelos gamers — Foto: Reprodução / VintageComputing.com

Saiba mais: veja os melhores jogos grátis para jogar durante a quarentena